terça-feira, 10 de janeiro de 2017

CURSO DE EDUCAÇÃO DAS EMOÇÕES

A forma mais bela de investir em Si.40 dias de Transformação intensa.Renascer a uma Nova VIDA mais Plena e Feliz!













O curso de Educação das Emoções é uma viagem de atenção e consciência ao interior de nós mesmos com o fim de se construir uma mente mais ampla e feliz.

Neste Curso convidamos os participantes a desfrutar de uma viagem de investigação ao longo de 40 dias de reencontro com o Ser. Partimos de um programa proposto pela Escola de Desenvolvimento Transpessoal no sentido de um maior crescimento interior com o intuito de construir uma mente mais aberta ao amor, mais positiva e mais feliz.

Estes 40 dias levam-nos a assumir um compromisso perante nós mesmos e a responsabilizar-nos por ele e pela nossa vida, permitindo-nos viver no momento presente e a sentir a profunda mudança e transmutação que o mesmo acarreta.

O Processo

A felicidade, na nossa atual civilização, já não está baseada em assegurar o alimento ou ter um teto onde nos abrigarmos, como pode ser para uma grande parte da população mundial.
O que agora entendemos como felicidade baseia-se em estados internos de paz profunda e serenidade, apesar de nos relacionarmos com as perdas, com a solidão, com os ciúmes, as culpas, os medos, a escassez, a baixa auto-estima e um sem número de padrões emocionais que nos tornam desgraçados, por ignorância e inconsciência.
Na realidade, a felicidade está orientada para o sentir-se em coerência com a vida, para o saber que estamos no lugar que nos corresponde, que vivemos alinhados com o nosso propósito existencial e que a vida tem sentido, tal e qual como sucede.

O importante não é o que sucede mas o que fazemos com o que sucede.

O Processo de Educação das Emoções em 40 dias nasceu para otimizar novas capacidades na nossa personalidade e reorientar aspetos emocionais, produto de crenças íntimas já caducadas.

Trata-se de um processo onde a cada manhã e a cada noite, o participante, seguindo um mapa preciso, “se presenteia” com um espaço pessoal para recriar o novo Eu e, por conseguinte, a própria vida, nos seus aspetos: físicos, emocionais, mentais e espirituais.

Porquê 40 dias?
Alguma vez nos perguntamos porque é que uma mulher que acaba de dar à luz um filho, não pode voltar a ficar grávida até que transcorram 40 dias depois do parto? Porque é que há milênios, as doenças eram submetidas a quarentenas diversas? Porque é que a Bíblia fala do retiro de Jesus no deserto durante 40 dias, antes de nascer para uma nova vida? Porque é que Moisés se retira para o monte Sinai durante 40 dias para receber a inspiração dos chamados Mandamentos? Porque o Ramadão maometano ou a quarentena cristã duram 40 dias?
Todo um ciclo que as Leis da Natureza determinaram para realizar os seus processos de transformação.


Algo mais acerca do Programa?
O curso de Educação das Emoções oferece a motivação e o método para se proteger de programações emocionais dependentes, sobrelevar as perdas e tornar consciente o propósito da vida em todas as áreas da mesma. Ao longo do Processo, o sujeito aprende a decretar aspetos de si mesmo que constituem toda uma “travessia psiconáutica” cheia de experiências de sincronia e não casualidade.
Na realidade, O Processo constitui um nascimento a uma nova espiral da vida em que as escolhas do participante se convertem, de maneira natural e sem esforço, em objetivo, ação e logro.

“Aquele que semeia um pensamento colhe uma ação.
Aquele que semeia uma ação colhe um hábito.
Aquele que semeia um hábito colhe um carácter.
Aquele que semeia um carácter colhe um destino”.

Na verdade, o aluno procede, de forma sistemática, a desenvolver determinados pensamentos que lhe permitem materializar a sua própria vocação no mundo, com os seus consequentes logros económicos, afetivos e espirituais.

A quem vai dirigido?
O Programa está concebido para todas aquelas pessoas que, pelas suas próprias circunstâncias, sintam que tenha chegado o momento de experimentar uma mudança interior com importantes repercussões no seu mundo exterior. Um momento em que se requer transformação e se sabe que se necessita de um empurrão e motivação para dar um salto qualitativo e possibilitar a criação de si mesmo e do próprio destino.

O curso contempla
Toda a documentação e 4 sessões presenciais ou por Skype de aproximadamente 30m cada.
Este curso é elaborado pela Escola Espanhola de Desenvolvimento Transpessoal, como Terapeuta da Escola tenho autorização para facilitá-lo a quem o solicite.

Duração
O curso decorre em 40 dias, seguidos.


segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

2017 o Ano da Roda da Fortuna

Segundo a numerologia do Tarot o ano de 2017 será regido pela Carta nº dez A Roda da Fortuna (2+0+1+7=10). Esta é a carta que nos fala de um novo ciclo, a energia estará em movimento e com um novo ritmo. O velho vai ser deixado para trás e com este novo ciclo que se vai iniciar podemos esperar mais agitação, mais rapidez em tudo, mas como em tudo há altos e baixos que fazem parte de todos os ciclos e o destino sempre realiza as transformações necessárias para conseguirmos, alcançar a vitória. Assim seguindo a energia do novo ano em 2017 movimente-se, agite-se, deixe-se levar pelas mudanças, aja!


“Podemos muito bem desejar o passado e o futuro, porem, podemos aproveitar o presente.” Francesco Petrarca

Fiquem bem, sejam felizes!
Gabriela Lima Barros 


quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

A história do porquê das mulheres terem ÚTERO

Hoje quero partilhar esta história, de Ximena Hernandez Noemi Avila com tradução para o português por Isabel Maria Angélica.
Uma história medicinal que toda mulher deve ler para recuperar a sua essência, as suas raízes e o significado de sua existência.
Este conto conta uma história muito, muito antiga, que muitos já não se lembram, ou que muitos já não falam, antes de os humanos aparecerem com duas pernas no chão, onde todas as mulheres, antes de serem mulheres, eram árvores e, como tal, tinham raízes que as tornavam unas com a Mãe Terra, mãos largas e casacos feitos de troncos, com longos cabelos que se cobriam de folhas, frutos e aves que cantavam na Primavera.
Elas viviam nos mais belos recantos, nutriam-se de sol, água e vento e jamais estavam sozinhas, pois rodeavam-nas todas as criaturas da floresta terrestre, a mais mágica podes imaginar. Da mesma forma, as guardava e nutria a mais sábia de todas as árvores, que elas chamaram de “Árvore Avó,” uma árvore muito antiga que conhecia todos os segredos da vida e da morte, e sempre que qualquer árvore-mulher de qualquer parte do mundo ficava doente, comunicava com a Árvore Avó através de suas raízes para se curar.
As mulheres árvore tinham poderes mágicos, elas comunicavam sem usar palavras, moviam os elementos sem ter mãos e podiam sentir todos os seres da Natureza através de uma rede profunda que formavam com as suas raízes dentro da terra.
Um dia, muito tempo depois, chegaram à Terra os humanos de duas patas, algo aconteceu e começaram os tempos de guerra, morte e destruição, alguns diziam que por causa da ambição do reino, o poder e a riqueza. Foi uma época terrível, onde muitas mulheres árvores foram transformadas em madeira e queimadas como uma forma de gerar calor. Assim, para manter vivas as suas filhas, a Avó permitiu que as árvores se desenraizassem e tivessem pés para poderem correr e esconderem-se longe do perigo. As mulheres árvores deveriam assim aprender a andar e a sobreviver por conta própria, em troca tiveram de perder as suas raízes e a sua conexão com a Mãe Terra e a todos os seres vivos, o que lhes causou grande dor e tristeza, mas esta foi a única maneira de sobreviverem e preservarem a tradição das mulheres árvore.
Quem me contou esta história diz que passaram muitos séculos até que a guerra pelos reinos terminou, e nela muitas mulheres árvore morreram de tristeza, pois não suportaram a solidão e o desenraizamento, outras se esqueceram de quem eram e aprenderam a viver com os humanos de duas patas e perderam os seus poderes e habilidades mágicas. Mas havia um outro grupo de mulheres árvore que foram distribuídas pelo mundo e, apesar de se separarem, prometeram nunca deixarem de serem quem eram e de conservar na memória mais profunda de DNA tudo o que elas aprenderam com a Árvore Avó. Este grupo de mulheres árvore comprometeu-se a reencontrar-se em todas as vidas seguintes, mantendo muito bem guardado o segredo das suas origens e poderes.
A Avó, também desejando não se separar deste bosque de donzelas, e num acto de amor profundo pelas suas filhas, abençoou todas as mulheres com uma árvore no seu ventre e esta árvore transformou-se naquilo que é hoje o nosso útero. Assim, todas as mulheres podem recuperar o seu enraizamento com a Mãe Terra nutrindo-se com o seu amor, pois o útero é a âncora da sua verdadeira essência. A partir dele está a forma de recuperar a razão mais primordial de ser mulher. E o maravilhoso desta bênção da Árvore Avó é que tenhamos ou não útero físico, teremos sempre o útero energético que nunca nada nem ninguém nos poderá retirar.
Esta é uma história muito, muito antiga, e muitos dizem que neste momento a Avó Árvore está a chamar em alto e bom som pelas suas filhas. Tanto é que se abraçares a árvore mais antiga do bosque e encostares o teu ouvido ao seu trono, ela te contará os segredos das mulheres árvore, te encherá de todo o seu amor e te doará toda a sua medicina ancestral. E a partir daí nunca mais estarás desconectada da Avó Árvore. O teu útero recuperará as suas raízes e caminharás sempre ancorada à Terra. Fim.
Toda a mulher que hoje possa estar a sentir uma ferida ancestral e um vazio emocional profundo sem explicação, é sinónimo de que tomou consciência que perdeu a sua raiz ancestral à Mãe Terra e à Avó Árvore. A forma de recuperar a alegria, o sentido da existência e o amor de ser mulher requer um regresso ao enraizar do útero na Terra, e isso passa por tomar consciência de que somos mulheres árvore e que em cada momento há uma rede invisível abaixo dos nossos pés que nos conecta a um sem fim de memórias ancestrais. Quando uma mulher está a sangrar a partir do seu ventre, toma consciência desta perda ancestral que lhe traz tristeza, vazio e a sensação de que lhe falta algo. Quando um homem faz amor com uma mulher, pode sentir por segundos o êxtase de estar conectado em unidade com o todo.
Desde relembrar que desde os nossos pés crescem raízes invisíveis que nos conectam a uma grande rede, um grande corpo energético, que são todos os seres vivos da Terra, mas que deves activar essas raízes que te conectarão a todas as mulheres, homens, animais, insectos, vegetais, minerais e aos elementos. Pois o nosso útero está conectado a um útero ainda maior, o útero primordial, aquele que dá à luz desde o início dos tempos a tudo o que é conhecido e desconhecido. Enraizar o nosso útero também tem muita relação com o recuperar da consciência e sabedoria da Terra, de menstruarmos de forma consciente e respeitar a vida em todos os sentidos.
Todos os úteros físicos ou energéticos que permaneçam sem esta conexão à Mãe Terra está suspenso no vazio e a mulher que o carrega sentir-se-á seca e sem vida. Recuperar a consciência raiz do útero é regressar ao sentido primordial da vida.
Com amor a todas aquelas que ainda não encontraram o sentido da sua existência, pois como mulher cheguei a experimentar esse vazia durante muito tempo na vida. Quando eu eu enraizei pela primei vez o meu útero à Terra, eu senti-me viva e recordei muitas memórias de dor que as minhas ancestrais sentiram e que eu deveria transmutar. Percebi que há uma ferida ancestral que todas carregamos e para curá-la é importante que as mulheres se unam e recordemos todas as nossas histórias e lembremos a magia que nos habita. Só desta forma pode também Mãe Terra para curar as suas feridas e os homens podem acompanhar-nos e serem guardiões desta evolução.

Por Ximena Hernandez Noemi Avila
Esta história nasceu das profundezas das minhas memórias uterinas e foi escrita nos meus dias de lua, por isso se vais levá-la e copiá-la para a tua página peço-te que identifiques onde a obtiveste. Muito obrigada.
Que a tua vida se inunde de amor
Texto traduzido para português por Isabel Maria Angélica


Fiquem bem, sejam felizes!

Gabriela Lima Barros  

domingo, 11 de dezembro de 2016

Lista de gratidão

Estamos quase a chegar ao final do ano, tempo em que geralmente fazemos um balanço do que vivemos, do que conquistamos e do que ainda não conseguimos. A minha sugestão é que expresses a tua gratidão ao Universo fazendo daqui até ao final do Ano uma lista de gratidão. 

 Nesta lista escreve todas as coisas pelas quais te sentes grato, desde coisas mais significativas que te aconteceram ou conquistaste este ano, até as coisas mais pequeninas. Podes incluir tudo o que desejares, poderás escrever esta lista dividindo-a pelas diversas áreas da tua vida, como por exemplo vida familiar, trabalho, saúde, dinheiro, pessoas, lugares, qualidades, acontecimentos, especialmente as coisas mais simples da vida pelas quais sentes gratidão. Lista pelo menos 3 motivos por dia, até o dia 31 de dezembro. Podes começar a tua lista com a palavra Obrigado....e seguidamente escreves pelo que estás a agradecer e porque estas a agradecer.
Todos os dias rele o que escreveste, e a cada dia vai acrescentando mais coisas pelas quais te sentes grato, pois todos os dias temos sempre algo pelo qual agradecer. No último dia do ano rele a tua lista e coloca-a num local visível, desta forma entrarás no novo ano com um sentimento de gratidão interior e abriras as portas para um 2017 extraordinário.
Fica bem, sê feliz! 
Gabriela Lima Barros     

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Só por hoje

O que farias na tua vida se vivesses só por hoje? O que serias capaz de fazer? Desanimavas ou comprometias-te em viver esse momento, esse só por hoje com outra atitude? Decidias sentir-te feliz, ou rendeste-ias aos problemas? Aceitavas o que a vida te dava ou procuravas realizar os teus desejos, sonhos e ambições? O que farias por ti? O que farias pelos outro? Que emoções escolhias sentir?
Convido-te a refletires sobre estas questões, "só por hoje" lembra-nos da importância de vivermos o momento presente, de vivermos o aqui e o agora, não olhando para o passado, nem ansiando o futuro, vivendo apenas conscientemente cada momento, cada dia. Claro que deves ter sonhos e projetos na tua vida, que deves ter um bom planeamento, mas irás perceber que ao viver “Só por hoje”, viverás com mais intensidade, com mais foco, com mais consciência e com mais serenidade e tudo isto te ajudará a chegares onde queres. Ao viveres “só por hoje” vais valorizar cada momento, vais poder saboreá-lo, vais perceber as alegrias e a beleza de todos os momentos. Poderás perceber se tens tempo para ti, se tens tempo para fazeres o que gostas, para te alimentares bem, para fazeres um pouco de exercício físico, ou simplesmente para teres uns minutos para relaxares ou apreciares um por-do-sol, tudo isto te permitirá definir quais são as tuas verdadeiras prioridades na vida. Vais perceber que não vale a pena perderes tempo com emoções negativas, como estares zangada ou com sentimentos de raiva, mas que "só por hoje" tu podes escolher controlar essas emoções e lidares com elas, poderás te perguntar: “o que estou realmente a sentir neste momento? Como isto me afeta? É assim que me quero sentir? Posso mudar o que estou a sentir agora?” Ao viveres “só por hoje” vais começar a criar estratégias mentais para a resolução dos problemas conforme eles forem surgindo, ao te perguntares há alguma coisa que eu possa fazer hoje para resolver esta situação?" A tua mente automaticamente vai te dar respostas positivas e criativas, mas se não houver, poderás orientar os teus pensamentos para pensamentos mais fortalecedores. Ao viveres “só por hoje vais perceber com mais facilidade as pequenas boas coisas que tens e vives a cada dia, isto permite-a encheres o teu coração de gratidão e a te sintonizares com o lado positivo da vida. Viver só por hoje e viver mais plenamente e mais feliz.

Fiquem bem, sejam felizes!



Gabriela Lima Barros

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Constelações familiares

A constelação familiar é uma terapia sistêmica que tem como objetivo trazer à luz a dinâmica normalmente oculta nos sistemas de relacionamento familiar, que estão na base de muitos padrões de comportamento, sintomas psicossomáticos e outros problemas da nossa vida.


Esta terapia foi criada por um alemão chamado Bert Hellinger, ele foi missionário em África e aprendeu muito com a observação das tribos, ele desenvolveu esta terapia a partir dos seus conhecimentos e observação de terapias como Hipnoterapia Eriksoniana, Psicoanalise, Programação Neurolinguistica (PNL), psicodrama, terapia primal entre outras.
Bert Hellinger deduziu, ao longo do trabalho de uma vida, que as relações familiares e outras se regem por determinadas leis ou ordens. São estas ordens que permitem que o Amor e a Harmonia fluam entre todos os elementos de um sistema..

Observou que estas leis ou ordens, quando não são respeitadas (normalmente a nível inconsciente), resultam em bloqueios que podem originar todo o tipo de problemas, sejam eles:
físicos (ex. sintomas e doenças)
emocionais (ex. falta de auto-estima)
mentais (ex. depressão)
espirituais (ex. perda de confiança numa força superior)
nas relações humanas (ex. relações amorosas; dificuldade ou ausência de relacionamento a nível familiar, profissional, de amizade)
... ou qualquer outra situação que nos cause sofrimento.

Como funciona ?
O trabalho de constelações pode ser feito em sessões individuais com bonecos palymobil/ figuras ou em grupo ou em  workshop.

O método de trabalho é o seguinte:
o cliente apresenta o tema que quer trabalhar;
o cliente e ou terapeuta escolhe representantes (figuras ou pessoas) para os elementos que entender necessários;
através de observação e técnica, o terapeuta interpreta e traduz a dinâmica oculta por detrás do tema.
Desvelada a origem do problema, surgem oportunidades de se mudarem/transformarem as “imagens” e decisões internas até então dominantes.
Trabalha-se no sentido de restaurar a ordem e a harmonia segundo essas mesmas leis ou ordens naturais, permitindo que o Amor flua novamente. O facilitador orienta a constelação, pedindo aos representantes para dizerem determinadas frases chave ou para se movimentar livremente ou irem a procura de um bom lugar, ou o do lugar correto na ordem familiar.
Este trabalho pode ser profundamente libertador a vários níveis. Traz normalmente ao indivíduo uma sensação de alívio, paz e bem-estar.


Este trabalho tem um tripla componente terapêutica

- Como observador – o simples facto de se estar presente e observar o trabalho que está a ser desenvolvido no decorrer do Workshop pode desencadear um processo de cura;
- Como representante – ser escolhido como representante leva à vivência de situações que podem ter que ver com o sistema da pessoa que foi escolhida, desencadeando um processo de cura;
- Colocando a sua própria constelação – a colocação de um tema ou situação específica, por exemplo, a sua relação com os seus pais ou de casal, situações de perda, sintomas, entre outras, gera um movimento interno da parte dos representantes que desvenda e traz à Luz uma dinâmica desconhecida desencadeando (junto do cliente) um processo de cura.

A quem se destina ?
A todas as pessoas maiores de idade que estejam numa situação que as incomode ou cause sofrimento. Uma vez que este trabalho pode ser emocionalmente muito intenso, para bebés, crianças e menores de 18 anos deve ser um dos pais a colocar o problema. Não é possível trabalhar um tema de outra pessoa adulta.

Que tema/problema posso trabalhar? 
-Relação com a minha mãe/irmão/filha/marido etc
-Penso com muita dor no meu pai/mãe que já faleceu
-Falta de objetivos, de energia
-Dificuldade em tomar decisões
-Problemas financeiros
-Discussão em relação a heranças
-Não consigo arranjar um emprego estável
-Quero mas não consigo mudar de casa
-A minha doença, O meu sintoma
-Dores de costas/cabeça
-A minha depressão
-O meu negócio está estagnado
-O meu chefe não me respeita
-Não consigo sair da profissão que não gosto
-Tenho um sonho/pesadelo recorrente
-Não me sinto integrado no país onde vivo
-Dificuldade em engravidar
-Não consigo deixar de fumar
-Não me consigo libertar do meu ex-marido/companheiro

-Medos diversos
- Auto realização
- Identidade
- Auto estima
- Dificuldade em lidar com o dinheiro
- Dificuldade em lidar com o tempo
- Bloqueio na vida profissional



quinta-feira, 21 de julho de 2016

Todo o dia é uma oportunidade para mudares a tua vida.

Deixa-te seguir no fluxo da vida, sente para onde ela te leva, arrisca, sonha, deseja, constrói, tu podes tudo. 
Não deixes para amanhã as mudanças que podes fazer hoje. Pensa; o que te limita? que crenças precisas mudar, para viveres uma vida mais plena? Liberta o teu poder, toma consciência de todas as coisas que tu aspiras vir a ser. O que é que tu, podes fazer hoje para melhorares a tua vida?
Que decisões precisas de tomar? Em que áreas precisas renovar para trazeres mais energia a tua vida?
“A vida é uma aventura ousada ou nada” Helen Keller

Dá o teu primeiro passo agora, não precisa de ser um grande passo, pode ser um passinho pequeno, uma pequena atitude que te permitam transformar os teus sonhos em realidade. 
Estabelece objetivos, encontra soluções e parte para a ação e lembra-te “Todo o dia é uma oportunidade para mudares a tua vida.”

Fiquem bem, sejam Felizes!

Gabriela Lima Barros